BrasilOcorrências

PCMG – Escrivães de MG fazem paralisação em repúdio a morte de servidora da categoria

A escrivã Rafaela Drummond tirou a própria vida na sexta-feira (9); ela havia relatado sofrer assédio moral e sexual na

Polícia Civil

Os escrivães da Polícia Civil de Minas Gerais farão uma paralisação na tarde desta quinta-feira (15) em repúdio às condições de trabalho na corporação. Eles também vão se dirigir em massa à cidade de Barbacena, no Campo das Vertentes, onde será realizada a missa de sétimo dia da escrivã Rafaela Drummond, que tirou a própria vida na última sexta-feira (9). Ela tinha 31 anos.

Em mensagens e áudios que circulam nas redes sociais e nos aplicativos de troca de mensagens, a escrivã se queixa que estava sofrendo assédio moral e sexual dentro da Polícia Civil, além de pressão de seus superiores na corporação. Os conteúdos foram divulgados após a morte de Rafaela.

“De 13h às 19h vamos fazer um ato de silêncio. Estamos convocando os escrivães para fazer esse ato em memória da Rafaela e em repúdio a essas ações criminosas de assédio moral, sexual e coação, tudo isso que a gente passa na polícia”, disse a presidente da Associação dos Escrivães da Polícia Civil de Minas Gerais (Aespol-MG), Aline Risi.

Please follow and like us:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *