Barra Pesada

.


Geraldo_Naves_com_fundo.jpg

 

bannerf

Barra Pesada

Polícia Civil prende homem pela prática de golpe milionário envolvendo precatório da União

A Polícia Civil do Estado de Goiás, por meio do Grupo de Repressão a Estelionato e Outras Fraudes da Delegacia Estadual de Investigações Criminais (GREF/DEIC), prendeu em flagrante, na tarde da última sexta-feira (07), no Setor Leste Universitário, um homem de 63 anos, após a tentativa de saque de R$ 100 mil de um total de R$ 1 milhão, numa agência bancária da capital, mediante o uso de RG e documentos falsos.

De acordo com o levantamento dos investigadores, o homem, identificado como Alexandre Vieira de Rezende Rattes, valendo-se de CNH e RG com os dados biográficos de outra pessoa – credor de um precatório (dívida/débito proveniente de condenação judiciária) contra a União no valor de R$ 2.238.029,16 (dois milhões duzentos e trinta e oito mil e vinte e nove reais e dezesseis centavos) – passou-se pela vítima e negociou com uma pessoa jurídica especializada a cessão (venda) do mencionado crédito, pelo valor de R$ 1 milhão. A empresa, acreditando negociar com o verdadeiro credor do título, chegou a efetuar o pagamento ajustado, através da entrega de dois cheques no valor de R$ 400 mil e um depósito de R$ 200 mil. Após o recebimento dos valores, o autor conseguiu sacar R$ 5.600.

Ato contínuo, na data da prisão, o autor retornou à agência bancária para efetuar transferência de mais R$ 100 mil. Na ocasião, por divergência na numeração dos documentos de identificação apresentados, a Polícia Civil foi acionada. Com base nessas informações iniciais, após o emprego de diligências de campo e diversos levantamentos de dados por parte dos investigadores do GREF/DEIC, descobriu-se, para além da documentação falsa, a existência de um esquema criminoso milionário.

A rápida e cirúrgica da atuação da PCGO possibilitou a sustação dos cheques já emitidos, o bloqueio do saldo remanescente da transferência e a recuperação de R$ 1.281,00 (mil duzentos e oitenta e um reais) em espécie, evitando-se prejuízo total de R$ 995.681,00 (novecentos e noventa e cinco mil, seiscentos e oitenta e um reais). O homem foi autuado por falsificação de documento público e estelionato. As investigações continuam no intuito de identificar eventuais partícipes do crime. O autor foi recolhido ao presídio local e se encontra à disposição do Poder Judiciário. A prisão em flagrante foi convertida em prisão preventiva em audiência de custódia judicial.

A imagem do suspeito foi divulgada em razão da primazia do interesse público sobre o privado, e pela própria espécie delitiva, que pressupõe o uso de artifícios, como a identidade falsa, para permitir os mais variados tipos de golpes, bem como a possibilidade do investigado ter feito outras vítimas que possam reconhecê-lo como autor de outros crimes de estelionato.

 

Fonte: PCGO

 

seg-202_00000--pronto.gif

Moreno-100_00000.gif

Please publish modules in offcanvas position.