Barra Pesada

.

 

Geraldo_Naves_com_fundo.jpg

Influenciadora investigada por esquema de pirâmide relata ameaças e se defende: 'tenho honestidade'

A Polícia Civil de Minas Gerais investiga Isabela Cristi Gomes e David Barros

Após as denúncias que envolvem os influenciadores que teriam aplicado golpes em um possível esquema de pirâmide financeira na Região Metropolitana de Belo Horizonte, Isabela Cristi Gomes - uma das proprietárias da empresa - relatou que tem sido vítima de calúnia e difamação e até mesmo ameaças de morte.

"Já repassei tudo para os meus advogados. Existe um grupo de WhatsApp onde tem várias ameaças de morte, inclusive, do tempo em que eu estava grávida. Já falaram coisas do tipo 'eu vou abrir a barriga dela com estilete'", relatou Isabela à reportagem da Itatiaia nesta sexta-feira (8/4).

A Polícia Civil de Minas Gerais investiga Isabela e o esposo David Barros, que se apresentam como donos de uma empresa de investimento.

De acordo com os denunciantes, a empresa I&D Investimentos prometia um retorno de 100% do valor investido em apenas 40 dias. No início, segundo as vítimas, muitos investidores obtiveram o retorno financeiro prometido mas, desde o ano passado, o pagamento deixou de ser feito.

Isabela defende que ela e o companheiros foram enganados. "No ano passado, eu e meu esposo tivemos o conhecimento de várias pessoas que anexaram comprovantes falsos no nosso sistema. São pessoas que fizeram cadastros errados, usaram o CPF de terceiros e usaram o comprovante de terceiros... Tivemos que fazer uma auditoria completa na empresa para captar quem são as pessoas que têm (dinheiro) que receber e quem não tem", disse.

Ela também contou que teve o conhecimento de um funcionário que adiantou o pagamento de pessoas sem a autorização dos proprietários. "Eram pessoas da minha confiança e, no decorrer desse tempo, comecei a receber muitas ameaças de pessoas que não têm nem nada pra receber", explicou. Ela aponta que denúncias foram feitas por pessoas que não integravam a lista de clientes da empresa.

Isabela ainda afirma que mantém contato diariamente com os investidores. "Eu nunca sumi e nunca vou sumir. Eu tenho caráter e tenho honestidade. E todos os dias eu converso com os meus investidores", finalizou.

Vítima

Uma das vítimas, que preferiu não se identificar, disse que conheceu a empresa por meio de uma amiga, que já havia feito investimentos com a mulher.

"Primeiro investi R$ 850 com retorno garantido de 100% em 40 dias. Meu marido ficou interessado e investimos R$ 5 mil, mas não recebi retorno. A proprietária pediu para alterar o dia de pagamento pois começou a ser ameaçada, disse que sofreu golpe de funcionários e investidores que utilizavam comprovantes falsos. Agora você entra em contato e eles te bloqueiam", relata.

"Foi ela própria que me chamou para entrar na empresa, que qualquer problema ela devolveria o dinheiro. Fiz amizade, passei a ir mais na igreja. Coloquei pessoas para investir com ela, mas a gente nunca teve acesso às contas. Quando a gente começou a ter atritos eles foram para as Maldivas e depois para Dubai", disse uma ex-funcionária da empresa, que também pediu para não se identificar à reportagem da Itatiaia.

Em nota a Polícia Civil informou que a delegacia de Lagoa Santa investiga o caso. Como é um crime de ação penal pública condicionado à representação, a PC orienta as vítimas de estelionato a procurar uma delegacia registrar a ocorrência e fazer a representação.

 

 Abertura-Barra-Pesada-GIF-007.gif

 

 

capital-ondonto-6-GIF.gif

Please publish modules in offcanvas position.