Barra Pesada

.

 

728x90_1.gif

 

Geraldo_Naves_com_fundo.jpg

 

PCDF deflagra Operação Xangai

Na manhã de hoje (17), a Divisão de Repressão a Roubos e Furtos – DRF da Coordenação de Repressão aos Crimes Patrimoniais – CORPATRI deflagrou a Operação Xangai.

A ação resultou na prisão de cinco pessoas que furtavam casas de chineses em todo o Brasil. Além das prisões, foram cumpridos seis mandados de busca e apreensão.

Dois mandados de prisão preventiva foram cumpridos em Campo Grande/MS, outros dois em Brasília/DF e um mandado de prisão temporária em São Paulo/SP, onde também foram cumpridos os mandados de busca e apreensão.

O cumprimento das medidas em São Paulo contou com o apoio do Departamento de Operações Policiais Estratégicas (DOPE) da Polícia Civil do Estado de São Paulo — PCSP.

Sediada em São Paulo, a associação criminosa especializou-se no ataque a apartamentos de chineses em todo o Brasil. O grupo atuava desde 2015 e já havia praticado furtos nos estados de São Paulo, Ceará, Pernambuco, Santa Catarina e Minas Gerais. Todos os presos possuem vínculos com criminosos já investigados pela DRF/Corpatri.

As investigações apontaram que os criminosos invadiram sete apartamentos no Distrito Federal, sendo quatro em Águas Claras, dois no Guará e um em Taguatinga. Ao todo, foram subtraídos mais de R$ 800 mil das vítimas.

Nos furtos do Distrito Federal, os criminosos se valeram de veículos alugados na cidade de São Paulo. Eles se passavam por parentes dos chineses e entregadores para enganar os porteiros dos prédios. Em seguida, arrombavam as portas dos apartamentos. Todos os presos foram indiciados por associação criminosa e sete delitos de furto qualificado.

Essa é a terceira operação da DRF que alcança criminosos voltados, com permanência e estabilidade, ao furto e roubo de casas de chineses. A Operação Xangai é um desdobramento das operações Chengdu e Pequim, ambas deflagradas pela PCDF.

Na Operação Chengdu, que ocorreu em maio de 2020, foram presos 12 criminosos. As prisões ocorreram nos estados de São Paulo, Ceará e Santa Catarina. Entre os anos de 2016 e 2020. Os alvos da Chengdu furtaram 18 apartamentos de chineses no Distrito Federal. Todos têm conexão com os criminosos presos na manhã de hoje.

Já a Pequim, deflagrada em novembro de 2020, culminou na prisão de três criminosos na cidade de São Paulo/SP. Eles foram responsáveis por sete furtos de apartamentos de chineses no Distrito Federal. O trio também tem vínculos com os criminosos presos na manhã de hoje.

Assessoria de Comunicação/DGPC

 

seg-202_00000--pronto.gif

Moreno-100_00000.gif

Please publish modules in offcanvas position.