Barra Pesada

.

 

728x90_1.gif

 

Geraldo_Naves_com_fundo.jpg

 

Polícia Civil volta a prender médico; prisão preventiva foi decretada após vítimas relatarem abusos em Abadiânia

A equipe da Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam) de Anápolis prendeu, na manhã de hoje (08), o médico Nicodemos Júnior Estanislau Morais, de 41 anos, investigado na Operação Sex Fraud. Ele é investigado por crimes de estupro de vulnerável e violação sexual mediante fraude.

O médico voltou a ser preso por ordem de um mandado de prisão preventiva expedido pelo juízo criminal da comarca de Abadiânia, onde um novo inquérito policial foi instaurado após quatro vítimas declararem ter sido também abusadas pelo médico. O médico foi preso em Anápolis. E responde, neste inquérito policial da Delegacia de Polícia (DP) de Abadiânia, também por violação sexual mediante fraude. Os atos de violação sexual mediante fraude teriam ocorrido nos meses de julho, agosto e setembro deste ano, em uma clínica onde o médico atendia em Abadiânia. Nos inquéritos de Anápolis, 53 vítimas foram ouvidas.

O investigado, após a prisão, foi levado para a Delegacia de Abadiânia, onde foi interrogado e foram realizados os procedimentos de praxe. Ele passou por audiência de custódia na tarde de hoje, na qual o juiz determinou a juntada de documentos pelas partes a fim de deliberar sobre a manutenção (ou não) da prisão cautelar. O Tribunal de Justiça de Goiás deu ainda nesta sexta-feira deferimento a recurso do Ministério Público, revogando a ordem de soltura do investigado que havia sido anteriormente decretada, relativa aos casos de Anápolis. O médico seguirá agora preso preventivamente no núcleo de custódia de Aparecida de Goiânia.

 

seg-202_00000--pronto.gif

Moreno-100_00000.gif

Please publish modules in offcanvas position.