Barra Pesada

.

 

Geraldo_Naves_com_fundo.jpg

Caseiro suspeito de matar três em Goiás participou de latrocínio de taxista em Serra do Salitre

Caseiro suspeito de matar três em Goiás participou de latrocínio de taxista em Serra do Salitre

Crime ocorreu em novembro de 2020; na época, quatro foram detidos e afirmaram à PM que roubaram o carro da vítima para trocá-lo por drogas e dinheiro.

Wanderson Mota Protácio se entregou à polícia neste sábado (4), após assassinatos em Corumbá de Goiás.

O caseiro Wanderson Mota Protácio, de 21 anos, preso neste sábado (4) suspeito de matar a mulher grávida, a enteada e um fazendeiro em Goiás, é um dos envolvidos no latrocínio do taxista Maurício Lopes Mariano, em Serra do Salitre, no Alto Paranaíba, em novembro de 2020. A vítima tinha 26 anos e era natural de São Gotardo.

No dia 23 de novembro, Maurício foi contatado por quatro indivíduos – um deles era Wanderson – para fazer uma corrida de São Gotardo para Ibiá. Mas, durante o trajeto, o taxista foi morto e corpo dele foi abandonado na zona rural de Serra do Salitre.

O carro da vítima foi levado pelos criminosos e identificado pelo sistema "Olho Vivo" da Polícia Militar (PM) circulando em Patrocínio.

Após diligências, Wanderson e outros três suspeitos – um jovem de 18 anos e dois adolescentes de 16 e 17 anos – foram abordados e detidos pela PM. Os quatro confessaram que mataram o taxista, afirmando que o intuito era roubar o carro para trocá-lo por drogas e dinheiro.

Na casa do caseiro, em Patrocínio, os militares encontraram diversas pedras de crack, uma barra e outras porções de maconha, dinheiro e material para embalar a droga. Wanderson afirmou que pagou a droga com o carro do taxista.

O grupo foi levado para a delegacia de plantão.

desaparecido sao gotardo

Maurício Lopes Mariano, de 26 anos, foi encontrado morto em Serra do Salitre — Foto: Reprodução/ TV Integração

Desdobramentos do latrocínio

No dia 25 de novembro de 2020, Wanderson foi preso em flagrante por latrocínio, extorsão, tráfico de drogas e corrupção de menores. A prisão dele foi confirmada pela Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) e ele foi encaminhado ao sistema prisional, ficando à disposição da Justiça.

Procurada pela produção da TV Integração na sexta-feira (3), o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) informou que, no dia 26 de novembro de 2020, os autos foram enviados com vista para a 2ª Promotoria de Justiça de São Gotardo.

Mas, devido ao fato de o crime ter ocorrido em Serra do Salitre, o processo foi encaminhado para a Comarca de Patrocínio. A prisão em flagrante de Wanderson foi convertida em preventiva pela Justiça.

O Ministério Público ainda informou que ofereceu denúncia à Justiça contra Wanderson por latrocínio, extorsão, tráfico de drogas e corrupção de menores.

A TV Integração contatou o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), que afirmou que a prisão preventiva foi revogada no dia 10 de março deste ano e um alvará de soltura foi expedido a favor de Wanderson no dia seguinte.

Além disso, o Tribunal informou que as últimas tramitações do processo foram em julho deste ano e uma nova audiência instrução/julgamento está marcada para 17 de agosto de 2022.

Crime em Goiás

Os três assassinatos aconteceram em Corumbá de Goiás, no entorno do Distrito Federal, no dia 28 de novembro. Segundo a Polícia Civil, primeiro, Wanderson matou a mulher dele que estava grávida, Rânia Aranha Figueiro, de 21 anos, e a enteada Geysa Aranha da Silva Rocha, de dois anos e nove meses.

Em seguida, ele furtou um revólver e matou o fazendeiro Roberto Clemente de Matos, de 73 anos, para roubar a caminhonete dele e fugir da cidade. Wanderson também tentou estuprar a mulher do fazendeiro, mas não conseguiu, e atirou no ombro dela.

Após o crime, o suspeito fugiu e a Secretaria de Segurança Pública de Goiás (SSP-GO) montou uma força-tarefa com as polícias Civil e Militar e com a ajuda da Rodoviária Federal (PRF) para prendê-lo.

Na manhã deste sábado (4), Wanderson se entregou à polícia em Gameleira de Goiás. Em entrevista à TV Anhanguera, a fazendeira Cindra Mara contou que foi surpreendida pelo suspeito, por volta das 6h, na propriedade onde ela mora. Ela contou que, após conversar com Wanderson, conseguiu convencê-lo de se entregar.

wanderson

Caseiro suspeito de matar a mulher grávida, enteada e fazendeiro se entrega à polícia em Goiás — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

 

 Abertura-Barra-Pesada-GIF-007.gif

 

 

capital-ondonto-6-GIF.gif

Please publish modules in offcanvas position.